Postagens populares

terça-feira, 27 de agosto de 2013

A 1ª consulta? Não aconteceu...

                           
Pois é  ...
Não aconteceu a primeira consulta.!
Culpa do plano de saúde que disse só a partir de 1° de setembro poderei me consultar. O interessante é que não fiquei chateada. A sensação que tenho é que não era mesmo pra ser.
Quinta passada, em conversa com minha querida cabeleireira, ela me falou de prima que trabalha em uma clínica de Fertilização lá em Duque de Caxias. Longe não? NÃO.
Pra quem está em busca de um sonho, não há distância ou barreiras...
Liguei hoje pra ela, marcamos um encaixe no dia 18 de setembro. Irei.
E lá na Pró-Nascer (http://www.pronascer.com.br/ ) a consulta será dia 7 de outubro. Irei também.
Não perdi minha esperança,  sabem, penso que na verdade Deus está me preparando, testando minha paciência, dando tempo ao meu corpo pra recuperar-se do parto de Valentina. Não poderei engravidar com tão pouco tempo de cesariana, então, não adianta me desesperar, até mesmo porque, a ansiedade só irá dificultar tudo.
Então, amigas que estão na torcida por mim, não desisti, só remarquei a consulta.
Deus está no controle de tudo. Se ELE achou q não deveria ser agora em agosto (ontem), quem sou eu pra não aceitar, não é?
Que venha dia 18 de setembro e dia 7 de outubro !!!
beijos,

sábado, 10 de agosto de 2013

Falando sobre o tempo... apenas refletindo.

 Ando pensando sobre o tempo. Dia 29/7, se estivesse viva, Valentina faria 4 meses. Amanhã, dia dos pais,  ela não estará aqui. Não teremos aqueles olhinhos azuis nos olhando... sorrindo um sorriso banguela. Difícil é não me abalar com as propagandas dos filhos, nas ruas, no mercado, no shopping... Parece que meus olhos tem ímã. São atraídos por grávidas, por bebês, outdoors sobre o tão comemorado dia dos pais... parece tortura!
Tentei e ainda tento não me deixar abater. Faço uma esforço leonino pra não pensar coisas ruins. A cada momento que passa, penso q estou mais próxima da resposta disso tudo que nos aconteceu. Pelo menos é o que me conforta.  Não adianta dizer que foi vontade de Deus,  não... não foi. Acredito sim em PERMISSÃO. O porque, um dia, quem sabe saberei.
Penso nela e não deixo de sonhar em ser mãe novamente. Essa possibilidade de inseminação artificial fez renascer em mim uma nova chama, e é essa chama q me aquece o coração.
Algumas pessoas não entendem por que não processo o hospital. Não... é uma ferida q será sempre reaberta a cada audiência, e isso não vai ser legal.  Nada e nem ninguém irá trazê-la de volta. Dinheiro algum irá substituí-la. Não diga que irá impedir que o funcionário cometa o erro com outra pessoa, q isso também não é verdade. Então, entrego na mão de Deus. O problema é grande demais pra eu suportar, só ELE pra resolver.
O erro cometido no hospital que ceifou a vida dela, não tem como ser corrigido. NÃO TEM .
Com o passar dos anos,  todas as situações tento não me ligar nas coisas ruins,  sempre tiro uma lição, sempre penso em algo que posso aprender.
Com a partida dela, aprendi a não me queixar, não me revoltar, não xingar, não  blasfemar contra Deus. Mostrei pra muitas pessoas que a nossa dor não justifica atos inconsequentes e revoltosos.
Tudo que nos acontece, de bom ou ruim, tem um propósito. Tem por quê.
Só o tempo q dirá, ou não.
Aprendi que sou mais forte do que pensava. Aprendi que minhas atitudes podem sim contribuir com outras pessoas q estão passando por momentos difíceis vejam q problemas todos nós temos, e que é nossa obrigação tentar passar por eles com um pouco de resignação  e dignidade.
A tristeza está sim dentro de mim.  Mas não permito   ficar triste. Quando abro um sorriso, recebo de volta um sorriso. Quando me lamento o que recebo de volta são palavras de consolo ou as vezes o silêncio. E o que é melhor ? Prefiro plantar e colher sorrisos.
A vida é assim,  tudo tem dois lados. Prefiro sempre olhar o lado bom.
Vejam as rosas , tão lindas, coloridas, perfumadas, mas estão lá os espinhos para  nos mostrar o cuidado ao manuseá-las. Assim é a vida. mesmo sendo colorida... perfumada... os espinhos ali estarão... cabe a nós não nos ferirmos.
Não posso ficar olhando o ponto preto na parede branca.
Sábio é o  homem que aprende e cresce com seus próprios tombos.
Que um dia eu possa estar aqui, diante deste computador, falando q estou sem tempo de escrever por estar atolada de tarefas com o bebê.
Tenho dentro de mim tanta certeza que tudo dará certo que não fico ansiosa. Não fico questionando... apenas espero.. o tempo é o dono de tudo.
Meu corpo precisa do tempo pra se recuperar da cirurgia. Minha cabeça precisa do tempo pra digerir a perda... Meu coração precisa de tempo pra substituir o vazio pela saudade.
Preciso ocupar meu tempo planejando o futuro, e não lamentando o passado.
A certeza é tanta, mais tanta sei que vou ter outra menina. Já escolhi até o nome. Será Olívia.
Derivado da Oliveira, que dá o azeite, que unge, que abençoa.
Então que venha Olívia!



[Quem Sabe um Dia]

Quem Sabe um Dia
Quem sabe um dia
Quem sabe um seremos
Quem sabe um viveremos
Quem sabe um morreremos!

Quem é que
Quem é macho
Quem é fêmea
Quem é humano, apenas!

Sabe amar
Sabe de mim e de si
Sabe de nós
Sabe ser um!

Um dia
Um mês
Um ano
Um(a) vida!

Sentir primeiro, pensar depois
Perdoar primeiro, julgar depois
Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois

Libertar primeiro, ensinar depois
Alimentar primeiro, cantar depois

Possuir primeiro, contemplar depois
Agir primeiro, julgar depois

Navegar primeiro, aportar depois
Viver primeiro, morrer depois
Mario Quintana

Ovodoação - Esclarecimentos

Quais são as regras para a ovodoação?
Basicamente são 3:
A doação nunca terá caráter lucrativo ou comercial. Não se vende óvulos (nem espermatozóides);
Os doadores não podem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa. Obrigatoriamente será mantido o sigilo e o anonimato. A legislação não permite doação entre familiares;
As clínicas especializadas mantêm de forma permanente um registro dos doadores, dados clínicos de caráter geral com as características fenotípicas (semelhança física), exames laboratoriais que comprovem sua saúde física e uma amostra celular. A escolha de doadores baseia-se na semelhança física, imunológica e na máxima compatibilidade entre doador e receptor (tipo sangüíneo etc).
As doadoras devem ter as seguintes características:
  • a) Menos do que 35 anos de idade;
  • b) Bom nível intelectual;
  • c) Histórico negativo de doenças genéticas transmissíveis;
  • d) Teste negativo para doenças infecciosas sexualmente transmissíveis (hepatite, sífilis, Aids etc) e tipagem sangüínea compatível com a receptora.
  • Qualquer mulher pode doar óvulos?
    R: O importante é preencher os requisitos das perguntas 13 e 14 (deste capítulo). Qualquer mulher que preencha estes itens e seja desconhecida da receptora poderá doar óvulos. Entretanto, as principais fontes de doadoras são:
    a) Mulheres férteis, que desejam submeter-se à ligadura tubária, poderão ser incentivadas a aceitar a estimulação ovariana e a doação dos óvulos.
    b) Pacientes do programa de Fertilização In Vitro ou Inseminação Artificial com altas respostas ao estímulo ovariano, às vezes, desejam de forma voluntária e anônima doar parte dos óvulos obtidos. São pacientes que não desejam congelar embriões nem óvulos e temem demais uma gestação múltipla.
    c) Óvulos congelados provenientes de mulheres submetidas à tratamentos de Fertilização in vitro que engravidaram e tiveram seu(s) filho(s). De alguma forma, o sucesso do tratamento já realizado indica uma boa qualidade destes óvulos. Estas pacientes, quando não desejam ter mais filhos, muitas vezes doam os óvulos excedentes. A chance de gravidez, nestes casos, está entre 25 a 30%. Vale ressaltar que a doação de óvulos é muito mais fácil de ser aceita pela paciente em relação à doação de embriões. Como a chance de gestação com óvulos congelados está cada vez mais próxima à de embriões congelados vale a pena o incentivo para o congelamento de óvulos para mulheres jovens que os produzem em grande quantidade.
    d) Doação compartilhada: É a situação mais comum. Neste caso, a receptora recebe os óvulos doados de uma paciente, submetida à Fertilização in vitro (doadora) que não deseja congelar óvulos excedentes por motivos particulares. A receptora arca com as despesas do seu próprio tratamento. Desta forma, estaremos ajudando duas mulheres e dando a elas o direito de ser mãe
    e) Irmãs, familiares e outras que queiram ajudar a receptora podem ser doadoras desde que, façam uma doação cruzada, isto é, os óvulos do familiar de uma doadora serão doados para uma outra receptora que também terá uma familiar que doará para a primeira receptora "A" tem uma irmã que se chama "X" e a outra paciente receptora "B" tem uma irmã que se chama "Y". Neste caso, a paciente "A" poderá receber óvulos da doadora "Y" e a receptora "B" poderá receber óvulos da doadora "X". Desta maneira, será preservado o anonimato.
    f) Doação por generosidade pura: É muito raro. Algumas mulheres de maneira altruística ou já beneficiadas por tratamentos anteriores de Fertilização in vitro, não desejando mais ter filhos e movidas por um sentimento de gratidão, se oferecem para doar seus óvulos sem qualquer benefício.
    Existem outras razões para uma mulher receber óvulos de uma doadora?
    - Ausência congênita ou retirada cirúrgica dos ovários.
    - Doenças genéticas transmissíveis da mulher.
    - Falhas repetidas de tratamentos de Fertilização In Vitro que aconteceram devido à má resposta ovariana ou a embriões de má qualidade.
    - Menopausa precoce.
    Ate que idade uma mulher pode ter filhos com óvulos doados?
    R: Não existe uma lei que determine a idade máxima. Mas, existe um consenso que 55 anos deva ser uma idade máxima. É evidente que algumas clínicas aceitam fazer tratamentos deste tipo em mulheres com mais idade, mas são poucas. Algumas vezes ouve-se notícias que mulheres entre 60 e 70 anos deram a luz. Este fato é tão raro que é noticiado pelos meios de comunicação no mundo.
    Existe algum fundamento neste limite de idade?
    R: Acredita-se que muitas mulheres após esta idade terão problemas clínicos importantes durante a gestação (diabetes, hipertensão etc) que podem colocar a própria vida da gestante em risco. Deve-se ponderar também o constrangimento da criança, quando chegar à adolescência e observar que sua mãe assemelha-se às avós de seus colegas. Uma vez que a ovodoação é um tratamento íntimo que normalmente é do conhecimento exclusivo do médico e do casal, acredita-se que esse tipo de mal-estar da criança deverá ser evitado. Não se deve esquecer que alunos do colegial (adolescência) já têm o conhecimento que na biologia da reprodução é impossível a gestação após os 60 anos.
    Por isso, antes que se inicie o processo de Fertilização In Vitro deverão passar por uma avaliação ginecológica, clínica e cardiológica e fazer os seguintes exames.

    EXAMES COMPLEMENTARES PARA AVALIAÇÃO GINECOLÓGICA:

    • - Ultra-som
    • - Histeroscopia
    • - Papanicolau
    • - Mamografia
    • - Exames de sangue - hormonais e de doenças infecciosas (HIV, Hepatite etc)
    • - Espermograma etc.

    EXAMES COMPLEMENTARES PARA AVALIAÇÃO CLÍNICA

    • - RX tórax
    • - Eletrocardiograma
    • - Exames de sangue em geral (glicemia, colesterol etc)
    • - Outros, se necessário
    • - Avaliação psicológica e emocional.
    • Mas, se o óvulo é de uma outra mulher (doadora), isso significa que os genes desta criança não são da mãe receptora (mulher vai gerar o bebê)?
      R: Exatamente. Os cromossomos deste bebê serão metade do marido da mulher receptora (que é a mulher que tem mais de 46 anos) e metade dos cromossomos da mulher doadora.
      A receptora pode conhecer a mulher doadora?
      R: Não, de forma alguma. No Brasil a ovodoação é um tratamento considerado ético, mas a doadora não poderá ser conhecida pelo casal. Muitos casais gostariam de ter os óvulos de alguém da sua própria família com a finalidade de manter a herança genética familiar, mas isto não é possível. É obrigatório o anonimato. É importante esse conhecimento pelo casal que vai receber óvulos doados para ter consciência que quem doou os óvulos jamais terá algum direito sobre seu filho.





Congelamentos - óvulos, sêmen, embriões.

Congelamento de Sêmem

Em situações clínicas especiais, pode ser necessário o congelamento de sêmen. Pacientes que têm neoplasia maligna testicular ou que serão submetidas a radioterapia ou a quimioterapia, poderão beneficiar-se desta técnica. A técnica consiste na obtenção do ejaculado por masturbação em uma ou mais amostras, preparação laboratorial, resfriamento e congelamento no nitrogênio líquido, que manterá a temperatura em baixos níveis, possibilitando após o descongelamento, a recuperação de espermatozóides viáveis à fecundação.

Congelamento de óvulos

 A BIOS dispõe da mais moderna técnica de congelamento de óvulos. Trata-se da técnica de VITRIFICAÇÃO. Esta técnica permite estabilizar os óvulos por um período a princípio indeterminado, podendo no futuro descongelar e utilizar para fins reprodutivos. Em situações onde o adiamento da gravidez se impõe, esta técnica passa a ser um grande aliado das mulheres. EM BREVE MAIS INOFRMAÇÕES...

Congelamentos de Embriões

Os embriões que não são transferidos ao interior do útero e que têm boa morfologia e vitalidade, deverão ser congelados.

Através de um processo de alta biotecnologia eles são resfriados e congelados no interior de nitrogênio líquido.

Estes embriões poderão ser utilizados e colocados no interior do útero materno, após o processo de descongelamento.

Fertilização In Vitro x Inseminação Artificial - explicando diferenças



Fertilização In Vitro


Trata-se de uma técnica que tem como diferença em relação à Inseminação artificial, o fato de necessitar colher o(s) óvulo(s) da mulher, após adequada estimulação ovariana. Esta coleta é feita sob anestesia, para melhor conforto da paciente. Neste mesmo tempo, colhe-se o sêmen do marido, sendo o material levado ao laboratório de Reprodução Humana. Cada placa terá um óvulo e um número adequado de espermatozóides, que serão colocados numa incubadora em condições semelhantes à encontrada no organismo materno. No dia seguinte as placas serão checadas para serem identificados os óvulos que foram fecundados e em torno de 02 a 05 dias após a coleta dos óvulos, os embriões serão colocados no interior do útero, sendo o teste de gravidez realizado 14 dias após esta colocação.

Esta técnica está indicada em Esterilidade sem causa conhecida, Endometriose, Obstrução tubária e Infertilidade masculina leve a moderada.


Inseminação Artificial

A Inseminação artificial é uma técnica que consiste em preparar o sêmen em meio de cultura adequado, com o objetivo de melhorar a motilidade e a possibilidade dos espermatozóides fecundarem o óvulo. Normalmente a mulher é submetida a estimulação ovariana com medicamentos adequados, aumentando a oferta de óvulos, acompanhada por ultra-sonografia transvaginal. No momento provável da ovulação é colhida uma amostra do sêmen do marido e preparada no laboratório de Reprodução Humana. Com um catéter especial o material é colocado dentro do útero e após 14 dias é feito o teste de gravidez. Para esta técnica ser utilizada, é necessário que a paciente tenha no mínimo uma trompa normal e que o marido tenha pelo menos 05 milhões de espermatozóides móveis.


Injeção Intra-Citoplasmática (ICSI)



Injeção Intra-Citoplasmática (ICSI)

Trata-se de uma técnica de fertilização in vitro, que se diferencia da convencional, pelo fato de se colocar o espermatozóide diretamente no interior do óvulo.

Este processo é realizado através da utilização de um aparelho de precisão absoluta chamado Micro-manipulador de gametas (espermatozóide e óvulo). No dia seguinte os óvulos são checados para ver quais foram fecundados e com 02 a 05 dias os embriões serão transferidos para o interior do útero.

Esta técnica está indicada principalmente para tratar Infertilidade masculina grave, onde o número de espermatozóides móveis é muito pequeno. Também pode ser utilizado em outros tipos de infertilidade.

IMPORTANTE


Como diferença básica entre a Fertilização in vitro convencional e a ICSI, consta o fato de que na primeira, é necessária uma quantidade de espermatozóides móveis, de boa qualidade, entre 150 a 300 mil por cada óvulo. Na ICSI é necessário 01 espermatozóide móvel por cada óvulo!!! Isto significa que a ICSI veio a resolver a infertilidade de um grande número de casais, cujo marido tem uma diminuição significativa na quantidade ou na motilidade dos espermatozóides. Quando não se encontram espermatozóides no ejaculado, eles podem ser colhidos diretamente do testículo ou do epidídimo. Esta coleta é feita com anestesia local ou sedação.