Postagens populares

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Qual é o passo-a-passo da FIV?

A fertilização in vitro – FIV é uma técnica usada para promover o sucesso da gravidez em casos de infertilidade.
A infertilidade é definida como a incapacidade de engravidar depois de 1 ano com relações sexuais desprotegidas e é um problema que afeta certa de 10% das mulheres e homens em idade fértil.

Quais problemas de fertilidade geram a procura pela Fertilização In Vitro?


A grande maioria dos casais que recorre à fertilização in vitro – FIV padecem de problemas como:
[notice_box]
  • Na mulher:
    • Alterações graves nas trompas de Falópio
    • Problemas no útero
    • Tem endometriose
  • No Homem:
    • Poucos espermatozoides
    • Espermatozoides de fraca qualidade
  • Ambos:
    • Situações em que outros tratamentos não tenham funcionado
    • Infertilidade sem causa aparente
[/notice_box]
Se você está considerando a hipótese de fazer uma fertilização in vitro porque não consegue engravidar e não há causas aparente para a infertilidade pode, antes de avançar mais, fazer o curso gratuito por e-mail sobre “As Reais Causas da Infertilidade e Como Engravidar Naturalmente”. É certo que você já deve ter lido e falado com seu médico sobre todas as causas possíveis para o problema, mas quem sabe se você não vai encontrar a solução neste curso! Não custa nada fazer o curso e ficar mais informada sobre o assunto.
Este tipo de procedimento é relativamente recente na comunidade médica internacional, no entanto tem sido largamente utilizada conseguindo obter boas taxas de sucesso.
A primeira fertilização in vitro teve lugar em 1978, em Inglaterra. Louise Brown foi o primeiro “bebé proveta” de todo o mundo.
No mesmo ano nasceu outro bebé através do mesmo tratamento médico na Índia.
O termo “bebé proveta” é atribuído pelas pessoas, pois a produção destes bebés é feita em laboratório e não no corpo da mãe, como seria o processo natural.
Explicando de uma forma muito simplista a fertilização in vitro faz a recolha do óvulo da mulher (através de procedimento médico) e dos espermatozoides do homem (através de masturbação), depois faz a análise e separação dos melhores óvulos e espermatozoides, com a finalidade de fertilizar os óvulos. Depois disso, é feita a reimplantação dos óvulos no útero da mulher, tendo como objetivo final uma gravidez com sucesso.
Agora que já apresentamos, de uma forma geral, o que é a fertilização in vitro – FIV e quais os tipos de casais que normalmente a usam vamos explicar, de forma detalhada, todo o procedimento médico envolvido neste método de fertilização assistida.
  1. A fertilização in vitro é feita em cinco passos, sendo eles:
  2. Estimulação do ovário
  3. Recolha do óvulos e dos espermatozoides
  4. Inseminação em laboratório
  5. Fertilização e cultura do embrião
  6. Transferência do embrião para o útero da mulher
No primeiro passo, a estimulação do ovário, a mulher tem de tomar medicação prescrita por seu médico que tem como objetivo fazer com que seu corpo produza mais óvulos por ciclo menstrual. A medicação pode ser tomada por 8 a 14 dias e é composta por hormônios.
A toma destes medicamentos é vital para o sucesso de todo o processo. Em uma situação normal, a mulher só produz um óvulo por ciclo menstrual e isso poderia ser insuficiente.
Por norma, a fertilização in vitro procura fazer a inseminação de vários óvulos em simultâneo, pois há sempre alguns que podem não fertilizar ou não se desenvolverem o suficiente para poderem ser reimplantados no útero da mulher.
No decorrer desta primeira fase são realizados vários exames médicos, como o ultrassom, para que a dose de medicação possa ser ajustado à necessidade específica da mulher e para saber qual é o melhor momento para passar à fase seguinte, a recolha dos óvulos.
Quando a altura da recolha dos óvulos chegar essa é feita através duma aspiração transvaginal com o apoio de um ultrassom de alta precisão. O médico vai procurar os folículos maduros e assim que os localizar insere uma agulha neles que faz a remoção dos óvulos por sucção.
Isto pode parecer um pouco assustador, mas na verdade trata-se de um procedimento médico muito simples. Para que a mulher esteja mais confortável e relaxada é utilizada uma anestesia fraca.
O médico também pode optar por fazer uma laparoscopia, no entanto este procedimento não é tão comum porque representa mais riscos.
Ne mesma altura em que se faz a recolha dos óvulos também é feita a recolha dos espermatozoides a utilizar para a fertilização.
Esta recolha é feita através do processo de masturbação normal.
O passo seguinte é um dos mais importantes, é a inseminação.
Para aumentar as chances de sucesso do procedimento, os médicos analisam cada um dos óvulos
recolhidos na fase anterior e utilizam aqueles que têm mais potencial de sucesso.
Em relação aos espermatozoides, estes também passam por um processo de tratamento em seleção, onde são separados do sêmen e depois são selecionados os mais ativos.
Os melhores óvulos e espermatozoides são colocados numa incubadora e aguarda-se a inseminação.
Por norma, a inseminação ocorre em algumas horas e os médicos controlam a evolução do desenvolvimento do embrião durante dois a três dias.
Este controle por parte dos médicos resume o quarto passo do processo de fertilização in vitro – a fertilização e cultura de embrião.
A última fase deste tratamento é a transferência do embrião para o útero da mulher.

Esta é feita dois a três dias depois da fertilização e os médicos só fazem a transferência dos embriões que tenham mostrados sinais de um desenvolvimento normal. Se houver mais do que um embrião que esteja em essas condições, pode ser feita a transferência de todos eles.
Para a realização da transferência de embrião, os médicos usam um cateter de transferência, ou seja, um tubo comprido, flexível e fino que tem uma agulha na ponta e fazem a introdução deste através da vagina até alcançarem o útero. Local onde vão fazer a implantação.
Nas duas horas seguintes a mulher deve ficar repousando, evitando assim sensações de desconfortos.
Nos dias seguintes é feito um ultrassom para confirmar a gravidez.
Todo o processo de fertilização in vitro pode demorar entre quatro a seis semanas e por vezes é necessário fazer mais do que um ciclo para que se consiga uma gravidez com sucesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário