Postagens populares

domingo, 7 de junho de 2015

Qual a diferença entre Inseminação Artificial (IA) e Fertilização In Vitro (FIV) ?

Depois que entrei nessa vida de tentante, são muitas perguntas e novidades a descobrir... acredito que minha dúvida possa ser sua também, então aqui está o que descobri no site da clínica Origem (http://origen.com.br)

Qual é a diferença entre inseminação artificial e fertilização in vitro?
Muita gente confunde as duas coisas e até acha que é a mesma técnica, só que elas são bem diferentes em método, custo e taxa de sucesso.
A inseminação intra-uterina consiste em estimular a ovulação da mulher através de um tratamento hormonal e depois transferir o sêmen (líquido que contém os espermatozoides) previamente colhido e trabalhado em laboratório para a cavidade uterina no momento da ovulação. Com esta técnica, a fecundação ocorre espontaneamente dentro do organismo materno. É um método mais barato e tem um índice de gravidez de cerca de 15%.
A fertilização in vitro (conhecida como FIV), por sua vez, induz uma produção múltipla de óvulos da mulher com altas doses de hormônios. Em seguida, os óvulos são colhidos em uma clínica (sob anestesia) antes da ovulação propriamente dita ocorrer e fertilizados em laboratório com os espermatozoides selecionados. Alguns dias depois é feita a transferência de embriões para a cavidade uterina. Este é um tratamento bem mais caro do que a inseminação, mas obtém taxas de sucesso em torno de 40%, dependendo da idade da mulher.

Fertilização in-vitro (FIV)

A FIV é popularmente conhecida como o método do “bebê de proveta” e é o procedimento de concepção assistida mais praticado no mundo.
Consiste em remover os óvulos do ovário, fertilizá-lo em laboratório com o espermatozóide do parceiro e transferir uma pequena seleção dos embriões fecundados para o útero e assim, viabilizar a gravidez.
O processo é iniciado com medicações adequadas (hormônio folículo estimulante) para estimular o crescimento de um grande número de folículos, onde estão os óvulos. Durante este período há um acompanhamento desse crescimento para avaliar a melhor dose a ser usada e evitar efeitos colaterais. Quando os folículos atingem o tamanho adequado, induzimos a maturidade dos óvulos.

Fertilização in vitro
A coleta dos óvulos é feita sob sedação para que não haja dor e o procedimento dura aproximadamente 10 minutos. A coleta é feita por uma fina agulha guiada por ultra-som. No mesmo dia são colhidos os espermatozóides que, em seguida, são preparados para serem colocados junto aos óvulos (aproximadamente 40.000 para cada óvulo). No dia seguinte confirmamos quantos foram fertilizados e esses são mantidos em cultura em incubadoras especiais que mantêm a temperatura e o ambiente ideal para o desenvolvimento adequado dos embriões.
Os embriões são mantidos nas incubadoras em meio de cultura especial até o momento da transferência para o útero. Esse momento varia de acordo com cada paciente e pode ser de 2 a 5 dias. Em seguida, são selecionados de 1 a 4 embriões que serão transferidos para o útero através de um cateter muito macio e suave. Os demais embriões de boa qualidade são congelados.
Quatorze dias após a coleta dos óvulos realiza-se o teste de gravidez. A FIV é indicada nos casos de doença tubária, fator masculino grave, endometriose, falha em outros tratamentos, infertilidade não explicada e idade feminina avançada.

Inseminação intra-uterina

Consiste em colocar espermatozóides previamente selecionados e preparados no útero. Antes disso, realizamos a indução da ovulação para aumentarmos o numero de folículos em crescimento e conseqüentemente o numero de óvulos disponíveis para os espermatozóides. Assim, espera-se aumentar a chance de que algum deles fecunde um óvulos. O crescimento dos folículos é acompanhado através de ultrasonografiaendovaginal. Quando os folículos atingem o tamanho desejado, uma nova medicação é administrada (hCG) para levar à rotura folicular – ovulação. Próximo ao momento da ovulação, o marido colhe uma amostra de esperma e esta é especialmente preparada e os espermatozóides selecionados são colocados em um cateter e inseridos no útero, para que cheguem mais rapidamente às trompas, onde ocorre a fertilização. São selecionados os espermatozóides mais aptos e em melhores condições para alcançar os óvulos. Esse tratamento é indicado em casos de alteração leve ou moderada no espermograma ou em casos de infertilidade sem causa aparente.
icsi

Testes de Ovulação, tipos e como funcionam

Testes de ovulação: Como funcionam, tipos, preço e onde comprar

Olá, pessoal, tudo bem?
Hoje eu gostaria de falar um pouquinho sobre testes de ovulação. Em inglês são chamados deovulation predictor kits (OPKs).
Diversos tipos de testes
Para que servem
Os testes de ovulação ajudam a identificar o período fértil da mulher, por meio da reação obtida com o hormônio luteinizante (LH) presente na urina. São usados para auxiliar na concepção ou na prevenção de uma gravidez indesejada. Caso o objetivo de seu uso seja a prevenção de uma gravidez, ele deve estar aliado a outros métodos anticoncepcionais.
Próximo ao período fértil, acontece um aumento repentino desse hormônio no sangue, que por sua vez é filtrado pelos rins, resultando na urina. Por esse motivo, o hormônio LH pode ser encontrado na urina. Próximo ao dia da ovulação, ocorre uma maior concrentração do hormônio, chamado o "pico de LH". Após o resultado positivo no teste, leva-se de 12 a 48 horas para a ovulação acontecer. Nesse período, as relações sexuais devem ser intensificadas caso o objetivo seja conceber, ou prevenidas, caso uma gravidez não seja desejada.

Como usar
A coleta da urina deve ser feita entre às 10hs e 20hs, em um recipiente descartável.
  • não coletar a urina logo após acordar, pois a concentração de LH é muito alta e pode apresentar um resultado incorreto no teste. 
  • reduzir a quantidade de líquido ingerida 2hs antes da coleta da urina. A urina muito diluída também pode apresentar um resultado incorreto no teste. 



Como ler os resultados
O teste começa a apresentar a segunda linha assim que detecta o mínimo do LH na urina (geralmente 20mIU), no entando, só é considerado positivo quando a segunda linha é tão ou mais forte que a linha de controle. O teste deve ser lido no máximo até 5 minutos após a coleta. Após 10 minutos, o resultado pode apresentar modificação, por isso deve ser desconsiderado após esse tempo.
Atenção: medicamentos que possuam gonadotrofina coriônica humana (hCG) ou hormônio luteinizante (LH) podem afetar os resultados dos testes.

Tipos
Existem três principais tipos de testes de ovulação:

  • Tiras (strip): as tiras possuem entre 2mm e 4mm de espessura. Devem ser mergulhadas por 3 minutos na urina, previamente colocada em um recipiente limpo. Esperar 5 minutos para ler o resultado. Desconsiderar após 10 minutos. É o tipo mais em conta.
Teste de ovulação/gravidez em tira

  • Cassete (cassette): possuem tamanhos variados. A urina deve ser colocada com o coletor no local indicado. Esperar 5 minutos para ler o resultado. Desconsiderar após 10 minutos. Possui valor médio.
Teste de ovulação/gravidez em cassete
  • Midstream: possuem tamanhos variados. Apresentam o resultado de diversas formas: em linhas duplas, em cruz, ou com o desenho de uma carinha ("feliz" o resultado é positivo, "triste" o resultado é negativo). O jato de urina deve ser direcionado ao local indicado do teste.  Esperar 5 minutos para ler o resultado. Desconsiderar após 10 minutos. Possui o maior valor no mercado.

Teste de ovulação/gravidez midstream
Quanto custam:
  • Tiras (strip): de R$ 2,00 à R$ 6,00 a unidade.
  • Cassete (cassette): de R$ 8,00 a R$ 16,00 a unidade.
  • Midstream: de R$18,00 à R$ 35,00 a unidade.

*Os preços variam consideravelmente de região para região.

Onde comprar: